Viagem de avião com o bebê: o que é preciso saber?

Dicas sobre viagem de avião com o bebê

A primeira viagem de avião do bebê é uma aventura!! Aqui vão algumas dicas para tornar essa viagem tranquila e feliz.

A partir de quando o bebê já pode viajar de avião?

Não existe idade mínima recomendada, porém algumas companhias aéreas não permitem bebês abaixo de 1 semana de vida. Não é recomendável expor um bebê muito pequeno a um ambiente fechado como o do avião e movimentado como de um aeroporto pelo risco de exposição à doenças. O ideal seria viajar com um bebê a partir de 3 meses de idade, porém não há contra-indicação para viajar antes disso, se necessário.

Quais são os riscos? Por ser um espaço fechado é mais propício a transmitir doenças? Tem uma recomendação de tempo máximo de voo?

Assim como a questão da idade, o tempo de voo também não tem regra de tempo máximo, cabe neste caso verificar a necessidade da viagem e o bom senso. O avião, como todo lugar fechado, é um ambiente mais propício para adquirir doenças, principalmente virais (como resfriados, gripe e doenças diarreicas). Devemos também lembrar que o aeroporto, por ter um fluxo intenso de pessoas, é um local de maior risco.

O bebê sente mais a pressão do que os adultos? Tem o ouvido mais sensível? Só durante a decolagem ou aterrissagem, ou durante todo o voo?

O ouvido dos pequenos é mais sensível, sim. A pressão é sentida somente na aterrissagem, devido à diferença de pressão que vai acontecendo no pouso.

O que exatamente causa este desconforto/dor?

Ocorre pela alteração de pressão dentro do ouvido (na membrana do tímpano) que causa sensibilidade, dor ou sensação de ouvido “tampado”. Esta condição pode ser piorada quando estamos com quadro de nariz entupido, que é bem comum em crianças.

O voo, em si, também pode causar mal estar ao bebê?

Não. Com os devidos cuidados e usando o bom senso no planejamento da viagem corre tudo bem.

Mamar, beber ou comer algo ajuda a aliviar os sintomas da pressão? Pode aumentar o enjoo?

Sim. Esta dica é primordial! Na hora da aterrissagem, mamar no peito ou mamadeira, usar a chupeta (caso utilize), ou tomar um copo de água para os maiores. Uma outra coisa importante é lavar as narinas com soro fisiológico spray ou gotas antes da viagem, durante (dependendo do tempo de duração do voo) e antes da aterrissagem para evitar a obstrução nasal que pode piorar as dores de ouvido.

Tem diferença viajar durante o dia ou à noite para não tirar o bebê da rotina, algo do tipo?

Na prática, vemos que viajar a noite tira menos o bebê da sua rotina e facilita para os pais, já que em geral após a agitação inicial do voo a criança dorme e fica tudo mais tranquilo.

Tem assento melhor para o bebê ou os pais? Os pais levam os bebês no colo ou na cadeirinha ao lado? Como é melhor? E o cinto de segurança?

Isso varia de acordo com a idade do bebê e a preferência dos pais. Algumas empresas fornecem berços portáteis de acordo com a idade. Para usar a cadeirinha é necessário pagar uma passagem extra mesmo para bebês abaixo de 24 meses. O cinto de segurança infantil deve ser fornecido pela companhia, mas nem todas as aeronaves possuem. Ele deve ser preso ao cinto do adulto. Se não houver esta opção, o bebê deve ficar no colo e só a mãe ou responsável amarrar o cinto. Nunca passar o cinto do adulto no bebê e em si pelo risco de lesões na criança casa haja uma desaceleração súbita da aeronave.

Alguns adultos gostam de tomar algum remédio para dormir. Deve-se dar algo para bebês também?

Nunca. Bebês com maior sensibilidade a viagem longa e enjoos podem fazer uso de um anti-emético (remédio de enjoo) prescrito e orientado pelo pediatra da criança antes da viagem e este dever ser administrado 30 minutos antes do voo.

Como deve ser a troca de fraldas? Onde?

Existem trocadores apropriados nos banheiros das aeronaves e se houver necessidade vale a pena pedir ajuda a um funcionário do avião (comissários de bordo). Trocar a fralda no assento de viagem pode ser desastroso e incomodar os demais passageiros.

Em relação à temperatura nos aviões, que geralmente oscilam, como os pais devem agir?

Levar roupas apropriadas para o voo e para o lugar do desembarque. No avião sempre é mais frio, então levar casacos, meias e mantas ajuda. Mas, se a família for para um lugar de calor, deve ter uma muda de roupa apropriada para quando chegar e o bebê não ficar com muito calor.

O que mais os pais não podem esquecer?

Levar uma sacola com fraldas, várias trocas de roupa para o bebê e também para a mãe e o pai. Além de uma necesserie com medicações de emergência, com remédios para vômito/enjoo, anti-térmicos, remédios para gazes, termômetro, chupetas extras são fundamentais. De acordo com o tempo de voo, pensar na alimentação dos bebês maiores também é importante, planejar o que levar e checar com antecedência (mamadeiras, leite em pó – fórmulas, papinhas). A maioria das companhias não permite levar alimentação congelada para ser esquentada ou frutas, então o melhor é verificar com a companhia aérea o que pode fazer para facilitar a vida da família.

Deixe um comentario