Angústia da Separação

angustia da separação

O que é angústia da separação?

Seu bebê era super tranquilo, ficava no colo de todos e agora estranha e só chora se uma pessoa diferente olha
para ele?  Essa é a chamada angústia da separação. Às vezes gera muitos conflitos e chateações até mesmo dentro da família, pois o papai, tios e avós se chateiam com a situação, no entanto, é uma fase importante do desenvolvimento do bebê e pela qual todos passam.

O bebê só quer a mamãe!

Como a pessoa mais próxima do bebê (desde a barriga, né?) é a mamãe, essa dupla ou  “binômio mãe-bebê” é quase uma coisa única até cerca de 8 meses. A partir dessa idade a criança passa a entender que ela é um ser único e individualizado da figura materna. Por isso se desespera quando a mãe sai de perto, pois passa a achar que ela pode não voltar (até então o bebê não tinha essa percepção). A partir do momento em que ele aprende a engatinhar, andar e explorar o mundo, essa fase tende a passar pois ele começa a achar mais interessante explorar as coisas (passa a ver que é algo bom ser um indivíduo!). Portanto, tenha calma, pois essa fase tem fim!

Dicas do Saude4kids para superar essa fase:

  • Delegar para o pai, avós e pessoas mais próximas alguns cuidados (banho, troca de fralda e alimentação) atenua a dependência exclusiva da  figura materna, e torna a fase mais tranquila. Explicar para todos que o bebê é um ser em formação e que isso tudo vai passar faz parte desse momento.
  • O sono pode ficar mais irregular nessa fase também, então recomendamos paciência redobrada a todos. Ter um objeto de segurança como um ursinho, uma fraldinha ou um paninho, os famosos objetos de transição, pode fazer o bebê se sentir mais seguro ao acordar à noite e até durante o dia com pessoas “estranhas”. Para ele esse objeto é como a segurança da mamãe trazendo tranquilidade e conforto.
  • Converse com o bebê! As crianças entendem as coisas muito antes de aprender a falar, então não pense “mas ela não vai entender nada!”. Explique que você vai se ausentar mas vai voltar.
  • Esteja pronta para atender as demandas  da criança de maneira equilibrada, pois é um jeito de criar um vínculo que torna essa “separação” mais suave. Por isso a nossa luta para não haja pressa na questão do colo, apego e até cama compartilhada como opção. Ao contrário do que muitas pessoas falam, essas práticas não vão tornar a criança insegura. Quanto mais colo e atenção a criança tem, mais certeza de que estará amparada nas suas necessidades e maior segurança para lidar com essa fase.
  • Não saia de casa escondida! É preferível se despedir e dizer até logo ainda que a criança chore. Sair sem que a criança perceba pode torna-la ainda mais ansiosa e fazer com que fique procurando constantemente a mãe com medo de que ela suma.
  • Oriente os parentes a não deixar a criança chorando sozinha! Isso é cruel e não vai ajudar em nada. Pode até ser que ela pare de chorar após um tempo, mas não porque aprendeu  lidar com a situação e sim porque viu que não vai ter suas necessidades atendidas.

Deixe um comentario